14 Agosto 2022 às 17:11:11
print

Memorando nº 043/2019-GAB/DPERO, de 10 de Julho de 2019.


Memorando Circular nº 43/2019/GAB/DPERO

Porto Velho - RO, 10 de julho de 2019.

 

Aos Excelentíssimos

MEMBROS E SERVIDORES DA DPE-RO

Capital e Interior do Estado

 

 

Assunto: Presta informações acerca de problemas no PJe.

 

Prezados,

Ao tempo em que os cumprimento, pelo presente viemos reportar uma questão relativa ao PJe. Foi observado que o sistema está enviando expedientes diretamente para as SUBCAIXAS, ao invés de remetê-las para a Caixa de Entrada, que é gerida pelo Cartório, o qual realiza sua distribuição manual.

Pelo que foi identificado até o momento, o PJe está enviando os novos expedientes (novas intimações) para a mesma subcaixa onde esteve o último expediente (da mesma parte/processo).

Essa situação pode ocasionar prejuízos como a perda de prazos de intimações que não foram sequer verificadas. Isso porque é comum que usuários criem subcaixas, a fim de organizar os processos ou dividir tarefas entre membros da equipe. Essas subcaixas não deveriam receber novos expedientes e, justamente por esse motivo, os processos que os usuários movimentam para elas não costumam ser reverificados. Com isso, a chegada de novas intimações pode passar despercebida.

Estamos realizando tratativas com o TJRO procurando solucionar o imbróglio, visto que a distribuição em subcaixas é importante para a organização dos núcleos e/ou titularidades. Já realizamos diversas reuniões e cobranças à STIC/TJRO, na expectativa de que esse comportamento do PJe se deva a um erro de sistema.

Contudo, pelo que foi analisado até o momento, é possível que, na verdade, o PJe esteja funcionando assim em razão da alteração de suas regras de negócio por parte do CNJ, de modo que seria um quadro irreversível a curto ou médio prazo, dependendo de vontade política para reversão.

Diante disso, enquanto não avançarmos na questão ou não forem orientadas pela Corregedoria-Geral rotinas padrão de trabalho para a atividade-fim, sugerimos aos defensores públicos reverem seus modelos de organização de subcaixas no PJe no âmbito de seus núcleos e/ou titularidades.

Para tanto, apresentamos as seguintes alternativas.

(1) Não utilizar mais a organização em subcaixas para divisão de trabalho por "status do expediente" (como as subcaixas em que se aglutinam em expedientes que estão aguardando “audiências”, “ligações”, “retorno de assistido”, “comparecimento”, “providências”, “transcurso de prazo”, “assinatura física”, “saída”, etc.). A organização por "responsável" ou grupo de responsáveis pode ser mantida sem prejuízo - e até otimizada, já que os expedientes novos daí para frente devem retornar para essa mesma subcaixa.

(2) Para manter a organização por “status do expediente”, reduzindo riscos de perda de intimações, será preciso constantemente verificar as caixas que não deveriam receber novos expedientes e mover estes para a subcaixa correta. Há um modo relativamente fácil de fazer essa verificação: ao abrir o PAINEL, selecione o filtro “Pendentes de ciência" (ao invés de "Pendentes de ciência ou de resposta", retratados na imagem ao lado); a partir daí, o usuário pode consultar as subcaixas e somente expedientes não lidas serão mostrados, de modo que poderá selecionar todos com um clique e movê-los em conjunto. Essa verificação deveria ser realizada no mínimo semanalmente, haja vista o prazo de leitura automática pelo sistema (10 dias).

Finalmente, há também a possibilidade de configurar filtros de distribuição automática nas caixas. Contudo ainda não temos certeza sobre como eles funcionam. Por isso, vamos fazer uma visita ao TJRO nos próximos dias para testar essa ferramenta em ambiente seguro. Sendo viável, passaremos instruções.

Qualquer dúvida, por favor, entre em contato.

Atenciosamente,

 

HANS LUCAS IMMICH

Subdefensor Público-Geral